SÃO DIMAS
São Dimas – O Bom Ladrão
São Dimas! Pelas chagas de Jesus Crucificado.
Na vida e na morte seja eu justificado

São Dimas é o protetor dos pobres agonizantes, sobretudo daqueles cuja conversão na última hora parece mais difícil. Entregam a São Dimas a proteção das casas e propriedades contra os ladrões. Invocam-no nas causas difíceis, sobretudo nos negócios financeiros.

Recomendemos ao grande Santo os pecadores em agonia. Invocam a São Dimas para a conversão e emenda dos bêbados, dos jogadores e ladrões.

É protetor dos presos e das penitenciárias, dos carroceiros e condutores de veículos.

Enfim, grande é o poder de intercessão do Bom Ladrão convertido no Calvário. Peçamos a São Dimas, sempre a maior das graças, a perseverança final, a de não morrermos no pecado, e de nos arrependermos sinceramente antes da morte.

Dimas foi célebre ladrão. Exerceu o banditismo na Judéia. Era de origem egípcia, pagão, e não judeu. “Sobre a cruz – diz são João Crisóstomo – dois ladrões, imagem dos judeus e dos gentios. O ladrão penitente, a imagem do paganismo, andando primeiramente no erro, e voltando para a verdade. O que permanece ladrão até a morte é a imagem dos judeus até a hora da crucifixão andaram eles pelo caminho do crime. A cruz, porém os separa”.

Dimas foi crucificado como Jesus Cristo. Cravaram-lhe as mãos e os pés na cruz. Não há probabilidade de que tenha sido simplesmente amarrado na cruz. Não era este o modo de crucificar os grandes criminosos. A crucifixão importava na transfixão das mãos e dos pés na cruz. Era horrível tortura.

Crucificado ao lado de Jesus, Dimas percebeu logo a mansidão, a doçura, de Jesus. Dimas observou a paciência de Jesus e se comoveu. Tocado pela graça, se converte miraculosamente. Heróica foi a fé e admirável a confiança daquele pobre Ladrão naquela hora. Via ao seu lado um homem crucificado, blasfemado, insultado, de modo vil pela plebe, e pelos sacerdotes e os inimigos. Entretanto tocado miraculosamente pela graça, reconhece em Jesus crucificado, o Messias e um Deus, o Senhor de um Reino celestial.

(Lucas 23, 39-43)
Um dos malfeitores, ali crucificados, blasfemava contra ele: Se és o Cristo, salva-te a ti mesmo e salva-nos a nós! Mas o outro o repreendeu: Nem sequer temes a Deus, tu que sofres no mesmo suplício? Para nós isto é justo: recebemos o que mereceram os nossos crimes, mas este não fez mal algum. E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim, quando tiveres entrado no teu Reino! Jesus respondeu-lhe: Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso.

Desde este momento o ladrão ficou justificado e canonizado pelo próprio Cristo no momento supremo da Redenção.

Entre os Santos, São Dimas tem privilégios que outros não tiveram. Gozará de uma glória, diz Monsenhor Gaume, baseado nos Santos Padres, uma glória que muitos não possuem.

PRIMEIRO: São Dimas foi o único Santo que mereceu ser crucificado com Jesus Cristo, e como Jesus Cristo. Que há de mais semelhante a um Crucificado que outro Crucificado?

SEGUNDO: Foi o advogado do Filho de Deus na cruz. Proclama a inocência de Jesus quando os inimigos o acusam e os amigos se calam.

TERCEIRO: Único pregador da Divindade de Cristo no Calvário. – Se foi preciso muita coragem para confessar a inocência de Jesus maior foi a fé em reconhecer naquele crucificado um Deus, o Senhor de um Reino no céu.

QUARTO: Foi o Companheiro das dores de Maria no Calvário.

O culto de São Dimas é dos primeiros séculos. Desde que Sta. Helena, mãe do Imperador Constantino mandou fazer as escavações no Calvário, e descobriu a cruz do Salvador, foi encontrada também a cruz de São Dimas, o Bom Ladrão. A Santa Imperatriz deu esta relíquia preciosa aos habitantes da Ilha de Chipre (Turquia). Foi lá conservada e venerada durante séculos na Capital Nicosia, hoje Lefkosia. Ficou suspensa miraculosamente no ar atrás do Altar Mor.

Este prodígio atraiu muitos peregrinos e romarias. Vinham de longe venerar o Bom Ladrão, e deram-se curas e milagres estupendos em toda região pela invocação de São Dimas.

Uma parte desta cruz foi levada para Constantinopla e dividida em parcelas por diversas igrejas do Oriente e do Ocidente à medida que se propagava o culto do Bom Ladrão.

Na Igreja da Santa Cruz de Jerusalém em Roma, no Altar Mor da capela das relíquias se encontra um pedaço importante do braço da cruz de São Dimas.

Uma partícula autêntica retirada do braço da cruz de São Dimas encontra-se em exposição num relicário na Catedral ao lado da imagem de São Dimas.

“Ó São Dimas, padroeiro e intercessor junto do Senhor, com um coração cheio de confiança e de esperança me dirijo a ti. Foste o primeiro santo a saciar-se dos frutos da redenção: “Bebeste, com alegria, nas próprias fontes da salvação” Quando, no alto do Calvário Jesus sofria o suplício a teu lado e era injuriado pela multidão dos presentes, tiveste a lealdade e a coragem de defendê-lo publicamente, declarando-o inocente em contraposição à culpa que pesava sobre nós.

Pedistes a Ele um gesto de “lembrança” amiga, quando viesse em seu reino. Soubeste unir os teus sofrimentos aos de Cristo e aos de Maria Santíssima, Mãe das Dores . Considerastes a Cruz o triunfo do amor sobre o ódio e o pecado.O Senhor Jesus, te garantiu o prêmio eterno: “Ainda hoje estarás comigo no paraíso”.Ó São Dimas,dirijo-me a ti, como pecador confiante, para que me conduzas “com segurança” ao trono da misericórdia a fim de conseguir a graça como ajuda oportuna” Amém.

São Dimas, a vossa confiança vos salvou na hora derradeira, e de grande pecador e criminoso que fostes, num instante, a misericórdia de Jesus vos transformou num grande Santo. Lembrai-vos de mim, pobre pecador como vós, e talvez maior do que vós, porque tenho abusado tanto da graça e ofendido tanto a Jesus Crucificado e morto por meu amor!

Pelas chagas do Divino Salvador no Calvário, pelas dores e as lágrimas de vossa Mãe, Maria Santíssima, alcançai-me a graça que ardentemente vos suplico; valei-me em minha aflição e em minhas necessidades temporais e espirituais! Assim seja. Pai Nosso, Ave-Maria e Gloria ao Pai.

JACULATÓRIA: São Dimas, pelas chagas de Jesus Crucificado – na vida e na morte, seja eu justificado!

Ó glorioso São Dimas, vistes no Calvário Jesus abandonado, desprezado e blasfemado, e naquele vosso Companheiro de patíbulo e de infâmia, reconheceste, num ato heróico de fé e numa confiança ilimitada, o Messias prometido e o Salvador do mundo. Quanto foi grande vossa fé! E eis que a uma súplica vossa de perdão, se abrem os tesouros da misericórdia do Coração agonizante de Jesus, e vos transformam num Santo.

Impetrai-vos esta fé viva e ardente, e vinde em socorro de tantos infelizes pecadores incrédulos que blasfemam e desprezam a misericórdia de nosso Deus crucificado. Convertei-os por vossa valiosa intercessão, e, si for da vontade de Deus, alcançai-me a graça que ardentemente vos suplico! (Pede-se a graça)

Pai Nosso, Ave-Maria e Gloria Pai.
JACULATÓRIA: São Dimas, pelas chagas de Jesus Crucificado – na vida e na morte, seja eu justificado!

Oração Final
Glorioso São Dimas agonizante junto à cruz do Salvador e junto de Maria, Mãe e Refúgio dos pecadores. Fostes a primeira conquista de Jesus e de Maria no Calvário. Fostes o primeiro Santo canonizado pelo próprio Jesus Cristo, quando vos garantiu o reino dos Céus: “HOJE ESTARÁS COMIGO NO PARAÍSO”.

Fostes o Santo primogênito de Maria no Calvário. Eis porque, hoje, prostrados aos vossos pés, a vós recorremos confiando na infinita misericórdia que vos santificou no Calvário, nas chagas de Jesus crucificado, nas dores e nas lágrimas de Maria Santíssima.

Em a nossa grande aflição, humilhados pelos nossos grandes pecados, mas tudo esperando da vossa valiosa proteção, vos pedimos que intercedeis por nós. Valei-nos, alcançai-nos as graças que ardentemente vos suplicamos! (Pede-se a graça)

Relíquia de São Dimas
Em 2009, na festa do nosso Padroeiro São Dimas, a paróquia recebeu um pequeno fragmento do patíbulo da Cruz de São Dimas, guardado na Basílica de Santa Cruz, em Jerusalém, na cidade de Roma, com as demais relíquias da verdadeira Cruz de Nosso Senhor.

A relíquia é daquele tempo, veio do Monte Calvário e carrega uma história de prodígios e sinais desde o momento em que foi encontrada. Sinais estes pedidos a Deus pela própria Santa Helena, que encontrou as cruzes no Calvário.

Esta relíquia foi entregue ao casal Ivani e Franco Iannotti pelo Cardeal Dom Cláudio Hummes que foram seus guardiões até a chegada em nossa Catedral.

Juntamente com a relíquia o Padre Rinaldo recebeu uma carta do abade da Igreja da Santa Cruz D. Simone M. Fiorasco:
Reverendíssimo Padre Rinaldo Roberto de Rezende, da Catedral de São Dimas de São José dos Campos. Sendo essa Catedral dedicada a São Dimas, faço a doação de um fragmento da Relíquia do Patíbulo do Bom Ladrão, São Dimas, guardada nesta Basílica desde os tempos da Imperatriz Helena, mãe do Imperador Constantino.

Desejo que este dom, sinal de comunhão e afeto, seja fonte de socorro, conforto e bênçãos no seu empenho a serviço do Evangelho e da Igreja e sustente toda a comunidade paroquial em um autêntico caminho de fé.