Estamos vivendo novamente o tempo da Quaresma. Para muitos, é um tempo de tristeza e de criativas penitências (às vezes, nem tanto), com  o objetivo de alcançar a graça de Deus, para se tornar uma pessoas melhor e, quem sabe, com muito esforço, mais santo.

Porém, este não é um tempo para alcançarmos a graça; este é, sim, um tempo para nos deixarmos alcançar pela mesma, que, como a própria palavra diz, é graça, ou seja, favor imerecido.

A iniciativa de nos transformar é de Deus. Nós somos apenas acolhedores com gratidão. Acolher não é esforço, mas abertura. Devemos parar de lutar para sermos melhores e descobrir que a única coisa a fazer é viver aquilo que já somos: santos (cf. Ef 1,4).

A oração e o jejum são instrumentos maravilhosos para nos conscientizarmos de que já somos criaturas novas. Nele, que faz novas todas as coisas.

 

Padre Luis Fernando Soares

Cura da Catedral